Está aqui

Novo ano letivo: “Não fechamos os olhos aos problemas que se mantêm”

Catarina Martins visitou esta quarta-feira a escola do Monte da Caparica, onde 700 alunos continuam a ter aulas em contentores enquanto esperam pelo despacho de Mário Centeno para poderem entrar na escola que tem as obras quase prontas.
Catarina Martins e os cabeças de lista do Bloco à Câmara e Assembleia municipal de Almada visitaram a escola do Monte da Caparica. Foto Paulete Matos

A abertura do ano letivo foi assinalada pela coordenadora do Bloco numa visita à Escola Secundária do Monte da Caparica, um dos casos que o Bloco tem acompanhado e denunciado a falta de condições para alunos e professores.

“O Ministério da Educação disse-nos em maio que já tinha despachado todo o processo para que esta obra pudesse acabar. Desde maio que o ministro das Finanças tem na sua secretária o despacho para assinar para permitir que esta obra se conclua, que os alunos possam ir para o edifício novo que está praticamente pronto. Não se compreende que o despacho não tenha sido assinado até agora”, afirmou Catarina Martins.

“O novo ano letivo começa com extraordinárias condições para muitas escolas, e ainda bem. Mas nós não fechamos os olhos aos problemas que se mantêm. E nestes dois anos, os alunos desta escola não viram nenhuma melhoria, está tudo na mesma”, prosseguiu a coordenadora do Bloco.

O caso da escola do Monte da Caparica é um exemplo dos cortes decretados pelo governo PSD/CDS, apontou a coordenadora bloquista: “Estava em curso uma obra para uma escola nova, mas antes da obra terminar o anterior governo mandou parar tudo. E parar tudo significa que neste momento há sete anos que os alunos têm aulas em monoblocos. É o dia a dia dos 700 alunos e dos seus professores, e também da secretaria e toda a estrutura de apoio que serve 2200 alunos”.

“Houve mais investimento em educação do que houve no governo anterior, mas não têm sido descativadas as verbas necessárias para tudo o que é preciso fazer”, prosseguiu Catarina, lembrando que no Monte da Caparica foram investidos milhões de euros para a escola nova “e agora estamos a pagar a cada mês que passa 10 mil euros para os alunos terem aulas em monoblocos”.

“Neste caso, como nos de outras escolas que precisam de obras, ficar parado é andar para trás”, concluiu.

"Ministro das Finanças europeu? Já tivemos Vítor Gaspar e Maria Luís Albuquerque e não foi bom"

Questionada pelos jornalistas sobre a proposta de Juncker para a criação do cargo de ministro da Economia e Finanças da união Europeia, Catarina Martins explicou a razão do Bloco não acompanhar essa proposta. “Portugal já conheceu o que é ter um ministro da Economia e das Finanças da União Europeia, que significa, tendo em conta o desenho institucional da UE, é basicamente ter um ministro da Economia e das Finanças alemão, como já se viu. Nós tivemos essa experiência com Vítor Gaspar e Maria Luís Albuquerque, não me lembro de ter sido nada de bom para o país”, afirmou a coordenadora do Bloco.

Termos relacionados Política

Adicionar novo comentário