Está aqui

Número de ultramilionários portugueses aumenta em tempo de crise

Portugal ocupa o 12º lugar entre os países europeus no "ranking" dos ultramilionários, ultrapassando países como Bélgica, Áustria, Luxemburgo e Dinamarca. Em causa estão fortunas superiores a 22 milhões de euros, num total de 74 mil milhões de euros, que se encontram concentrados nas mãos de 0,009% da população portuguesa.

Portugal tem atualmente 870 habitantes com fortunas superiores a 22 milhões de euros, mais 85 do que os registados no ano passado, segundo dados divulgados no "Relatório de Ultra Riqueza no Mundo 2013", da autoria da Wealth X - empresa que oferece o perfil dos ultra ricos para profissionais das finanças dedicados à gestão de patrimónios privados -,em parceria com o banco suíço UBS.

Estes ultramilionários, que representam 0,009% da população portuguesa, concentram nos seus cofres 74 mil milhões de euros, um valor bastante próximo dos 78 mil milhões que a troika emprestou, em condições usurárias, a Portugal, e que representa um aumento de 7,4 mil milhões de euros face a 2012.

Portugal ocupa o 12º lugar no "ranking" dos ultramilionários entre os países europeus, ultrapassando a Bélgica, Dinamarca, Luxemburgo e Áustria, entre outros. A Alemanha ocupa o primeiro lugar do pódio (17.820), seguida do Reino Unido (10.910), Suíça (6.330), França (4.490) e Itália (2.075).

Tendo em conta a relação percentual entre o número de ultramilionários por milhões de habitantes, e não o número unitário de fortunas, Portugal passa para o nono lugar, à frente de países como Holanda e Finlândia, numa lista que é encabeçada pelo principado do Mónaco, onde 5% da população é ultramilionária.

No que respeita ao aumento do número de ultramilionários, Portugal só é ultrapassado pela Alemanha (13%), a Suíça (13,1%), a Grécia (11,1%), Roménia (12%) e Sérvia (11,1%).

Já no que concerne ao acréscimo do valor das suas fortunas, apenas a Suíça (14,5%), Áustria (16,7%), Grécia (20%), Hungria (12,5%), Republica Checa (16,67%) e Roménia (21,4%) precedem Portugal no ranking.

No continente europeu existem 58.065 multimilionários, mais 8,7% do que em 2012, com uma fortuna de 6,4 biliões de euros, mais 10,4 % face ao ano passado.

A nível mundial, o número de ultramilionários aumentou, entre 2012 e 2013, de 187.380 para 199.235.

AnexoTamanho
PDF icon ubs.pdf4.61 MB
Termos relacionados Sociedade

Comentários

Isto é o significado de uma crise capitalista, os ricos tornam-se mais e mais poderosos e os trabalhadores perdem os seus direitos e rendimentos.
O capitalismo nunca será democrático e é bom que as pessoas percebam isso e lutem contra o sistema, porque quanto mais tempo ele estiver em vigor mais direitos os trabalhadores vão perder, podendo mesmo os regimes fascistas e neo-nazis voltarem à europa.

Adicionar novo comentário