Está aqui

Maré cidadã exige em Madrid menos troika e mais liberdade

Milhares de pessoas manifestaram-se em Madrid contra o “golpe de estado financeiro” da troika ao país. Dezenas de movimentos unidos em “marés” setoriais assinalaram assim o primeiro aniversário deste protesto e apelaram à participação na Marcha da Dignidade no dia 22 de março.
Um ano depois da primeira Maré Cidadã, Marid voltou a mobilizar-se contra o golpe da troika aos direitos dos cidadãos. Foto Fco Javier Huete/Flickr

A manifestação arrancou da Praça do Sol, com milhares de pessoas a juntarem-se pelas mesmas reivindicações contra os cortes e privatizações ditados pela troika aos sucessivos governos. Desta vez o objetivo foi também responder às recentes iniciativas para mudar as leis de segurança e o código penal para criminalizar os protestos, bem como a lei criminalizadora do aborto.

Entre os participantes nestas “marés”, informa o portal publico.es, encontravam-se ativistas de algumas das lutas sociais do momento, como os trabalhadores da Coca Cola em luta contra o encerramento da fábrica e o despedimento de mais de 1253 trabalhadores, ou o coletivo contra a privatização da recolha de sangue, que o Estado pretende entregar à Cruz Vermelha, oferecendo o material e veículos e pagando 67 euros por cada bolsa. Os trabalhadores do Contro de Transfusões da Comunidade de Madrid estão em greve há 18 dias contra esta privatização.

A “maré branca” da Saúde também marcou presença e é um dos movimentos que conquistou uma vitória importante, ao ver travado o processo de privatização de seis hospitais e quase três dezenas de centros de saúde em Madrid. Por entre movimentos de imigrantes, contra os despejos, ecologistas, republicanos ou feministas, ao todo participaram mais de 50 coletivos e associações nesta manifestação que cumpriu à chegada à Praça Neptuno um minuto de silêncio em memória dos imigrantes mortos ao largo de Ceuta, numa tragédia agravada pela ação da Guarda Civil.

No final da manifestação ouviram-se apelos a “encher Madrid no dia 22 de março na Marcha da Dignidade”, um protesto que tem por objetivo juntar um milhão de pessoas para exigir o fim das políticas de Rajoy e da troika.

Termos relacionados Internacional

Adicionar novo comentário