Está aqui

Manifestações exigiram libertação imediata de Ahed Tamimi

Este sábado tiveram lugar iniciativas em Lisboa, Porto e Braga pela libertação de Ahed Tamimi e de todas as crianças palestinianas. Centenas de menores estão detidos em Israel, por se insurgirem contra a ocupação israelita.
Foto de Shahd Wadi.

De acordo com Shahd Wadi, do Comité de Solidariedade com a Palestina e do Boicote, Desinvestimento e Sanções, o objetivo da vigília realizada em Lisboa, que contou com cerca de uma centena de pessoas, "foi de chamar a atenção para a prisão" de Ahed Tamimi, de 16 anos, "mas também a de outros detidos que estão em prisões israelitas, em particular meninos e meninas".

"Por ano, são 800 crianças que passam pelos calabouços israelitas", assinalou Shahd Wadi, avançando que Tamimi foi presente a julgamento a 8 deste mês, tendo sido confrontada com "coisas que tinha feito desde que tinha 11 anos, como a participação em manifestações" pró-palestinianas.

"Tamimi estava em casa quando os militares vieram e dispararam contra um primo. Ela não pertence a grupos políticos, não tinha armas, estava a resistir dentro da casa dela, conjuntamente com a prima, que foi já libertada", relatou, acrescentando que "a reação de Tamimi em agredir os militares, que queriam retirá-la da casa dela à força, foi feita em defesa e contra a violência dos soldados".

Shahd Wadi, do Comité de Solidariedade com a Palestina e do BDS. Foto de Beatriz Farelo.

A ativista, citada pela agência Lusa, recordou ainda que permanecem presos cinco mil palestinianos por se insurgirem contra "a ocupação" israelita e afirmou que "Israel criou uma imagem estereotipada dos palestinianos e sobre a mulher palestiniana, que é oprimida ou terrorista".

A mãe de Ahed Tamimi encontra-se entre os palestinianos detidos, porque "foi apenas perguntar pela filha detida e ficou encarcerada".

Em Lisboa, os manifestantes ostentaram cartazes onde se liam palavras de ordem como: “Boicote a Israel” e “Free Palestine”. No final gritou-se “Palestina Vencerá!”.

O ex coordenador do Bloco Francisco Louçã, bem como o dirigente bloquista Luís Fazenda e os deputados Mariana Mortágua e Heitor de Sousa marcaram presença no protesto organizado pelos coletivos Palestina Não Tem Voz Usa A Tua, Comité de Solidariedade com a Palestina, Grupo Said, SOS Palestina e Pela libertação imediata de Ahed Tamimi.

Em declarações ao Esquerda.net, a deputada Mariana Mortágua condenou as detenções por parte do exército israelita e do Estado de Israel, sublinhando que as mesmas configuram “uma flagrante violação dos direitos humanos”, ainda mais quando estão em causa crianças.

No Porto, a iniciativa teve lugar na Praceta Palestina. “O meu coração é palestiniano”, “Liberdade Ahed Tamimi” e a “A cada 12h uma criança palestiniana é detida, interrogada e encarcerada” foram algumas das frases trazidas pelos manifestantes.

Os protestos contra a repressão do Estado de Israel alastraram-se ainda a Braga. A Avenida central foi o palco da iniciativa convocada pelo Núcleo Antifascista de Braga. 

Fotos dos protestos em Lisboa e Porto:

Lisboa. Foto de Beatriz Farelo.
Lisboa. Foto de Beatriz Farelo.
Lisboa. Foto de Shahd Wadi.
Porto. Foto de Beatriz Arnedo.
Porto. Foto de Beatriz Arnedo.
Porto. Foto de Beatriz Arnedo.
Porto. Foto de Beatriz Arnedo.

 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade

Adicionar novo comentário