Está aqui

Loures: Fabian Figueiredo critica “maioria atípica PCP-PSD"

O candidato bloquista à Câmara de Loures apresentou os temas fortes da campanha, com a rede de transportes e o fim da precariedade do município no topo das prioridades.
Fabian Figueiredo no convívio de apresentação da candidatura autárquica do Bloco a Loures

“Muito ficou por fazer nos quatro anos de governação da maioria atípica PCP-PSD”, afirmou Fabian Figueiredo no convívio de apresentação da candidatura realizado este sábado na Associação de Moradores de Santo António dos Cavaleiros, com a presença da coordenadora bloquista Catarina Martins.

Neste concelho “extremamente deficitário em termos de transportes”, sem rede de Metro nem articulação das carreiras privadas de autocarros, “o problema tem várias raízes, e o principal tem um nome: Barraqueiro“, apontou o candidato à Câmara de Loures. O Bloco propõe o alargamento da Carris a todo o concelho e autocarros da Câmara e das Juntas para os pequenos percursos no interior do concelho, sem esquecer a proposta da extensão da rede de Metro a Loures.

“Loures tem a obrigação de se transformar num município com precariedade zero”, defendeu Fabian Figueiredo, propondo “a realização de um estudo detalhado sobre o recurso a formas de contratação precárias na Câmara Municipal de Loures, nas empresas municipais e nas juntas de freguesia”.

“Com a CDU e Bernardino Soares, a Câmara Municipal de Loures continua a ter problemas em ouvir e a estar pouco confortável em matéria de transparência”, prosseguiu o candidato, dando o exemplo do voto contra da CDU ao Orçamento Participativo proposto pelo Bloco e que acabou aprovado. “Desta história há uma outra lição a tirar. Se, por um lado, é importante afastar a direita do executivo, uma maioria absoluta da CDU teria impedido a criação de um Orçamento Participativo. É mais um exemplo de como a força do Bloco de Esquerda pode fazer toda a diferença”, concluiu.

Mandatária da candidatura é a atleta campeã nacional Amélia Vitorino

A mandatária da candidatura é a atleta Amélia Vitorino, campeã nacional dos 1500 metros em pista coberta. Na sua intervenção, destacou as preocupações com a mobilidade e a qualidade ambiental do concelho, dando o exemplo dos “escassos espaços verdes e o facto de, aqueles que existem, serem de tamanho reduzido”. Defensora de um Orçamento Participativo para Loures, Amélia Vitorino sublinhou ainda “os feitos alcançados pelos nossos atletas do concelho”, dando como referências “desde o Gimnofrielas à Associação de Moradores da Portela, que com os poucos apoios e condições, conseguiram feitos magníficos”.

Coube ao cabeça de lista à Assembleia Municipal de Loures a apresentção das candidatas e candidatos do Bloco de Esquerda às juntas de freguesia do concelho.  Carlos Gonçalves afirmou o empenho da candidatura “em ter o seu melhor resultado de sempre” na eleição de 1 de outubro, a primeira em que se candidata a todas as juntas do concelho. E destacou alguns contributos do Bloco/Loures no apoio “às populações ou instituições, que lutam por causas justas” na preservação do património, na defesa do ambiente e no respeito pelos direitos dos animais.

 

 

Termos relacionados Política

Adicionar novo comentário