Está aqui

Greve dos trabalhadores dos call centers da PT-MEO

Trabalhadores da ManpowerGroup Solutions ao serviço da PT-MEO estão em greve nesta segunda-feira e concentraram-se junto ao edifício da PT no Porto. Lutam pela integração nos quadros da PT-Meo e pela valorização dos salários.
Trabalhadores dos call centers da PT-MEO com Arménio Carlos, na concentração desta segunda-feira, 13 de novembro – Foto de Manuel Araújo
Trabalhadores dos call centers da PT-MEO com Arménio Carlos, na concentração desta segunda-feira, 13 de novembro – Foto de Manuel Araújo

Os trabalhadores dos call centers da ManpowerGroup Solutions ao serviço da PT-MEO são cerca de dois mil, distribuídos por Porto, Santo Tirso, Coimbra e Castelo Branco.

Segundo o Sindicato dos trabalhadores de Telecomunicações e Audiovisual a adesão à greve é de 80%, sendo esta a quarta greve que estes trabalhadores fazem este ano pelas mesmas reivindicações: aumento dos salários e integração nos quadros da PT-MEO.

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, esteve presente na concentração no Porto e afirmou à RTP:

“Num contexto em que se está a discutir a precariedade com o governo, este é o momento para demonstrar que situações como esta têm que acabar”.

Arménio Carlos salientou também que situações semelhantes às dos call centers da PT-MEO existem noutras empresas como Vodafone, Nos, Fidelidade e outras.

“Esse é o problema que tem que ser resolvido e enquanto não for resolvido nós não vamos descansar” reafirmou o secretário-geral da CGTP, apelando depois à participação na manifestação da CGTP do próximo sábado, 18 de novembro de 2017.

“É preciso combater a precariedade, não com perguntas mas com respostas, e também é necessário melhorar as condições de vida e trabalho dos trabalhadores”, concluiu Arménio Carlos.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade

Adicionar novo comentário