Está aqui

Governo coreano preferiu míssil a alimentar a população

Ao realizar o lançamento deste foguetão, o governo coreano suspendeu intencionalmente a ajuda alimentar internacional, abdicando do abastecimento de alimentos da população em favor de um momento de lirismo patriótico absolutamente falhado.
Um momento de lirismo patriótico absolutamente falhado.

Às 7:39, hora local (22:39 de quinta-feira em Portugal), a Coreia do Norte lançou da sua base de Sohae um foguetão Unha 3 de 30 metros. Segundo fontes do governo coreano, este foguetão continha um satélite capaz de realizar fotografia da superfície terrestre e capaz de medir vários parâmetros climáticos. Cerca de um minuto depois do lançamento, o Unha 3 explodiu, desfazendo-se em cerca de 20 destroços, que se despenharam no mar a cerca de 165 km a oeste de Seoul.

A colocação do referido satélite em órbita pretendia comemorar o centésimo aniversário do nascimento do primeiro presidente da Coreia do Norte, Kim Il-Sung. No entanto, a verdadeira motivação deste lançamento seria um pretexto para testar a sua tecnologia de mísseis de longo alcance, interdita à Coreia do Norte por uma resolução das Nações Unidas. O desenvolvimento de mísseis de longo alcance está há longa data entre os objetivos do programa nuclear norte coreano, visto que este tipo de lançadores poderá transportar cargas nucleares muito para lá do continente asiático.

A pressão internacional e uma sequência de negociações diplomáticas para que a Coreia do Norte abandone o seu programa nuclear teve como resultado a suspensão das atividades de desenvolvimento de armas nucleares em Fevereiro deste ano e uma moratória aos testes de mísseis em troca de ajuda alimentar internacional. A população da Coreia do Norte sofre de graves carências alimentares, sendo a morte de crianças e de adultos por falta de nutrição uma das principais causas de mortalidade no país. Ao realizar o lançamento deste foguetão, o governo coreano suspendeu intencionalmente a ajuda alimentar internacional, abdicando do abastecimento de alimentos da população em favor de um momento de lirismo patriótico absolutamente falhado.

Artigos relacionados: 

Sobre o/a autor(a)

Investigador no Departamento de Física da Universidade de Coimbra
Termos relacionados Notícias internacional

Comentários

Lamento mas eu acho que o povo norte-coreano até vive razoavelmente bem, pelo menos quando os vi na televisão a chorar a morte do líder estavam todos bem vestidos, e a capital pyongyang até parecia bastante desenvolvida com infra-estruturas ao nível das europeias e americanas.
Isso da mortalidade por falta de nutrição, sinceramente não sei se é verdade ou mentira porque já ninguém sabe o que se lá passa e portanto não se deviam de espalhar factos que podem ser falsos. E o que ninguém diz é que a Coreia do Norte foi capaz de desenvolver armas nucleares e construir o míssil sem importar cientistas estrangeiros isto só revela que o nível de instrução deles é muito elevado, mas como são comunistas nada disso importa para os "media"

Adicionar novo comentário