Está aqui

GALP admite furar costa alentejana ainda este ano

Na apresentação do plano estratégico da empresa, o presidente da empresa disse que o furo da prospeção de petróleo na costa alentejana será feito nos meses de abril e maio, talvez já em 2017.
Plataforma petrolífera, foto de Philippa McKinlay/Flickr.

"Abril a maio é uma janela de oportunidade que não se pode perder", disse Carlos Gomes da Silva, citado pela agencia Lusa. Questionado pelos jornalistas sobre a possibilidade de avançar com o furo a 80 quilómetros ao largo de Sines já este ano, respondeu que será "um qualquer abril de um qualquer ano".

“A operação será feita quando todas as condições estiverem reunidas, se forem compatíveis com a janela de período de tempo com condições do mar”, acrescentou o presidente da GALP Energia.

O atual governo suspendeu os contratos de prospeção atribuídos à Repsol e à Portfuel de Sousa Cintra nos últimos dias do governo liderado por Pedro Passos Coelho, mas não retirou a licença ao consórcio ENI/GALP, que detém três concessões na costa alentejana, abrangendo uma área de 9100 quilómetros quadrados, atribuída em 2007 pelo ministro Manuel Pinho.

Este consórcio chegou a prever o início da perfuração em julho passado, mas desistiu dos planos após o alargamento do período de discussão pública, com parecer maioritariamente negativos ao processo.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Petróleo em Portugal, Ambiente

Adicionar novo comentário