Está aqui

Eucaliptal

Serão as vantagens financeiras associadas ao negócio compensadoras dos riscos económicos, ambientais e sociais para a sociedade? Artigo de Paulo Pimenta de Castro, que apresentará o painel “Eucaliptal”, no Fórum Socialismo 2017.
Avião larga água sobre um eucliptal a arder – Vendas Novas, 2 de julho de 2017 – Foto de Miguel A. Lopes/Lusa
Avião larga água sobre um eucliptal a arder – Vendas Novas, 2 de julho de 2017 – Foto de Miguel A. Lopes/Lusa

O eucaliptal em Portugal está na base da atividade de dois grupos empresariais, cujas unidades fabris assumem relevo nacional ao nível das emissões para a atmosfera e para o meio aquático. A situação de poluição no rio Tejo, em Vila Velha do Ródão, é uma demonstração da estratégia empresarial seguida atualmente pelas celuloses em Portugal. Será hoje aceitável este retrocesso civilizacional?

A par da situação na transformação industrial, no território, o eucaliptal assume destaque ao nível da expansão em área, sem acréscimo de produtividade, nem garantia de sustentabilidade, assente numa estratégia de aumento de uma oferta de risco, unicamente para perpetuar o condicionamento de preços por parte da procura. Será esta uma cultura rentável, sobretudo em 14 dos 18 distritos de Portugal? Serão as vantagens financeiras associadas ao negócio compensadoras dos riscos económicos, ambientais e sociais para a sociedade?

Ao nível dos riscos, as plantações de eucalipto têm revelado uma tendência crescente no que respeita ao seu envolvimento na área ardida anualmente no país. Se em 1996 representavam 3% da área ardida total e 13% da área ardida em florestal, em 2015, vinte anos após, os valores percentuais são, respetivamente, de 17% e 45%. Ou seja, mais expansão, maior o risco. Quais as consequências futuras, tendo em conta os cenários relativos às Alterações Climáticas?

Importa, pois, avaliar a estratégia seguida pela indústria papeleira em Portugal, do papel das governações e os impactos económico, ambiental e social associados à quinta maior área de plantações a nível mundial, a primeira em termos relativos. Não estaremos perante uma reedição da “campanha do trigo”, esta levada a cabo pelo Estado Novo?

Artigo de Paulo Pimenta de Castro, que apresentará o painelEucaliptal”, no Fórum Socialismo 2017, no domingo, 27 de agosto, às 11:45 horas na sala 3.

Termos relacionados Fórum Socialismo 2017, Cultura

Adicionar novo comentário