Está aqui

Em março, a cidade do Porto acolherá o primeiro "Encontro de Mulheres"

O “Encontro de Mulheres - Todas as Vozes Contam” terá lugar na Escola Artística Soares dos Reis, nos dias 10 e 11 de março. Também em março, a cidade de Lisboa será ocupada por um “Festival Feminista”.

Na cidade do Porto, está já em marcha a organização do primeiro Encontro de Mulheres - Todas as Vozes Contam, uma iniciativa inédita em Portugal, que procura replicar os encontros feministas que acontecem anualmente, desde a década de 1980, em diferentes países da América Latina.

A iniciativa partiu da plataforma "Parar o Machismo, Construir a Igualdade", a mesma que, em janeiro de 2017, organizou a "Marcha das Mulheres #NãoSejasTrump". Agora, o objetivo é a “criação de um encontro de mulheres interseccional, horizontal, autónomo, democrático e auto-gestionado”, explicou ao Esquerda.net Patrícia Martins, uma da organizadoras do encontro.

Segundo o evento no Facebook, “Todas as vozes contam” é, então, o mote desta iniciativa que pretende “juntar pessoas que se identificam como mulheres, feministas ou não, ativistas ou não, coletivos, associações para participarem na criação de uma agenda transversal à diversidade das experiências de opressão que as mulheres vivenciam no seu quotidiano”. Entre debates e oficinas, e contando também com uma programação paralela para crianças, o programa do encontro está a ser construído com base em três eixos: precariedade, violências e invisibilidade. Ao mesmo tempo, decorrerá ainda uma Feira Feminista.

Para preparar este primeiro Encontro de Mulheres, têm acontecido reuniões no Porto, mas também noutras cidades do país. “O objetivo é também o alargamento e a mobilização, temos apostado muito no contacto com outros coletivos, convidando toda a gente a participar no encontro e também na sua organização, na escrita do manifesto, etc.”, contou Patrícia Martins. Segundo a ativista feminista, o encontro inclui já pessoas e movimentos também das cidades de Bragança, Vila Real, Chaves e Lisboa.

Para o dia 8 de março, estão também a ser preparadas manifestações de rua, no Porto e em Lisboa. No dia 11 de março, Vila Real acolherá a sua primeira marcha pela igualdade de género.

Para financiar o encontro, encontra-se aberta uma campanha de angariação de fundos. Ana Fernandes (Capicua) é uma das 'guerreiras' do encontro e gravou um apelo de apoio à iniciativa:

Em março, o Festival Feminista quer “ocupar” Lisboa

“Nesta primeira edição, em março de 2018, ocupamos Lisboa - com debates, workshops, performances, concertos, teatro, oficinas, feira de zines/livros, cinema, exposições e muito mais”. É assim que se anuncia o Festival Feminista de Lisboa, uma iniciativa inclusiva, interseccional, auto-gerida e sem fins lucrativos.

O programa do festival está ainda a ser construído a partir das inúmeras propostas que chegaram através de uma chamada geral. Na página do Facebook, onde vão reunindo informação sobre os preparativos, as organizadoras deste festival afirmam que lutam “pela igualdade de oportunidades, pela diversidade de identidades e pela auto-determinação”, reivindicando “oportunidades iguais para todxs, usando a nossa voz e a nossa arte como arma de desconstrução pacífica!”.

No próximo dia 12 de fevereiro, haverá uma Festa de Carnaval, no espaço Anjos70 (ver evento). Será o primeiro evento de angariação de fundos para o Festival Feminista de Lisboa, que decorrerá durante todo o mês de março, em vários locais da cidade.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)