Está aqui

Catalunha: Quatro questões decisivas nas eleições

Nesta quinta-feira, 21 de dezembro, realizam-se eleições na Catalunha. A última sondagem conhecida aponta como provável que o partido mais votado seja a ERC, que tem vindo a subir. Estas eleições serão decisivas nesta e noutras três importantes questões.
Sondagem sobre as eleições de 21 de dezembro na Catalunha, divulgada nesta terça-feira, 19 de dezembro, por “El Periòdic d'Andorra”
Sondagem sobre as eleições de 21 de dezembro na Catalunha, divulgada nesta terça-feira, 19 de dezembro, por “El Periòdic d'Andorra”

A lei espanhola proíbe a divulgação de sondagens na última semana antes das eleições. No entanto, todos os dias estão a ser divulgadas novas sondagens por “El Periòdic d'Andorra”.

PP perderá mais de metade dos deputados

Na sondagem divulgada nesta terça-feira, a ERC (Esquerda Republicana da Catalunha) obtém 23,3% e entre 36 e 37 mandatos.

Em segundo lugar, está o partido de direita Ciudadanos, com 23,2% e 31 a 32 mandatos.

O terceiro lugar é ocupado pela candidatura Junts per Catalunya (liderada pelo presidente catalão Carles Puigdemont) com 18% e 26 a 27 mandatos. O PSC (Partido dos Socialistas da Catalunha) ocupa o quarto lugar, com 15,4% e 20 a 21 mandatos. A candidatura Catalunya en Comú – Podem está em quinto lugar com 8,7% e 10 a 11 mandatos. A candidatura independentista da CUP aparece em quinto lugar, com 4,9% e entre cinco e seis mandatos. Por fim, o PP tem nesta sondagem 4,8% e a previsão da eleição de 4 a 5 deputados.

Quatro questões sobressaem como muito relevantes nestas eleições:

1º Se algum dos blocos (o independentista ou o bloco defensor do artigo 155, mal chamado de bloco “constitucionalista”) terá maioria absoluta;

2º Qual a relação de forças dentro de cada um dos blocos;

3º O partido mais votado;

4º O peso da candidatura Catalunya en Comú – Podem.

Se houver maioria absoluta será tangencial

A maioria absoluta nas eleições da Catalunha alcança-se com 68 eleitos, uma vez que o parlamento é composto por 135 deputados.

Só o bloco independentista terá possibilidade de obter uma maioria absoluta, a última sondagem aponta para os três partidos do bloco independentista (ERC, Junts per Catalunya e CUP) poderem eleger entre 67 e 70 deputados. Quanto ao bloco do artigo 151 (Ciudadanos, PSC e PP) obterá no máximo 58 deputados, segundo as sondagens, bem abaixo da maioria absoluta.

Mas, mesmo que os independentistas obtenham uma maioria absoluta, que significaria uma importante vitória para este bloco, essa maioria absoluta será tangencial.

ERC e Ciudadanos serão os partidos mais votados

A relação de forças vai-se alterar significativamente em cada um dos blocos. No bloco independentista, a ERC sairá como a principal força política, ultrapassando o partido de Puidgemont (PDCAT) e a tradicional direita catalã e retirando-lhe a hegemonia. De entre as três forças independentistas, a CUP pode também baixar significativamente, perdendo metade (ou quase) dos seus deputados – poderá passar de 10 para 5 ou 6 deputados.

No bloco defensor do artigo 151, o partido Ciudadanos subirá, assim como o PSC, enquanto o PP deverá afundar-se. O Partido Popular elegeu 11 deputados nas últimas eleições em 2015, mas deverá eleger apenas entre 4 e 5 deputados, se as últimas sondagens vierem a confirmar-se.

Catalunya en Comú – Podem pode vir a ter um papel decisivo

A candidatura Catalunya en Comú – Podem, apesar de estar em quinto lugar nas sondagens e não manifestar crescimento eleitoral, pode vir a ganhar um papel mais relevante na política catalã, sobretudo se não houver maioria absoluta dos independentistas.

Sobre o futuro desta candidatura, Josep Maria Antentas, no artigo 21D: zozobras pre (y post) electorales, aponta que Catalunya En Comú-Podem “tem a imperiosa necessidade de recuperar o seu impulso constituinte e roturista, ter uma agenda catalã não subordinada às vicissitudes estatais, e converter-se numa força com raiz social e cultura ativista”.

Artigos relacionados: 

Adicionar novo comentário