Está aqui

Bloco repudia declaração do Governo português que é cópia de minuta de Rajoy

“Independentemente da posição que se possa ter sobre a Catalunha, o Governo português não pode fazer tábua rasa da sua própria Constituição”, que impõe “o respeito pela autodeterminação dos povos”, disse a deputada Isabel Pires, anunciando que o Bloco irá apresentar um voto de repúdio no parlamento.
“Consideramos que é uma atitude reprovável por parte do Governo português, por isso decidimos apresentar um voto de repúdio na Assembleia da República, afirmou Isabel Pires. Foto de Paulete Matos
“Consideramos que é uma atitude reprovável por parte do Governo português, por isso decidimos apresentar um voto de repúdio na Assembleia da República, afirmou Isabel Pires. Foto de Paulete Matos

O Bloco de Esquerda tomou conhecimento da situação relatada pela comunicação social catalã e belga, relativamente à existência de uma minuta enviada pelo Primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, como orientação para a tomada de posição de vários países, face à situação da Catalunha. Para Isabel Pires, trata-se de “uma posição absolutamente criticável” e “agravada por ser do conhecimento público que o comunicado enviado pelo Governo português corresponde exatamente a essa minuta”.

“Consideramos que é uma atitude reprovável por parte do Governo português, por isso decidimos apresentar um voto de repúdio na Assembleia da República, afirmou a deputada do Bloco de Esquerda, em declarações ao Esquerda.net.

O voto será apresentado na próxima semana e votado na sexta-feira, dia 3 de novembro.

“Independentemente da posição que se possa ter sobre a Catalunha, o Governo português não pode fazer tábua rasa da sua própria Constituição, que coloca, como exigência da nossa política externa, o respeito pela autodeterminação dos povos”, lembrou Isabel Pires.

Para o Bloco, “tão pouco deve o Governo português subscrever um documento redigido pelo Governo do Estado espanhol, sem qualquer sentido crítico, e numa atitude de aceitação dos atropelos que ainda ninguém esqueceu do dia 1 de outubro”, defendeu ainda. 

Isabel Pires explicou que o Bloco exige “o respeito pela Constituição da República Portuguesa e reitera a necessidade de prudência nas declarações oficiais do Governo português sobre a Catalunha”, e reafirmou que “o Bloco repudia o documento assinado pelo governo português, que corresponde à minuta do governo do estado espanhol”.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados 1-O: Referendo na Catalunha, Política

Comentários

Espanha e Espanha , Portugal e Portugal, o governo nada tem haver com os problemas internos de outros países, a constituição e nossa nada tem a ver com terceiros, se fosse ao contrario, aconteceria o mesmo, A quero lembrar se n/soube, quando se deu o 25 de Abril de 74, em portugal, Frank, carlech, pediu a franco que invadisse portugal, franco respondeu nem pensar nisso, os portugueses e que tinham de resolver os seus problemas, por isso esta o nosso contributo, olhemos pelo que cá se passa, que nao e pouco.Ganhem juizo para ter a confiança dos porugueses

Catarina comete um erro primário de lógica!
Usa erradamente uma nobre determinação da Constituição da República Portuguesa para falaciar o apoio da independência da Catalunha!
A Catalunha nunca foi independente nem nunca foi um estado e nem o seu povo é oprimido.
A Catalunha é parte integrante dum estado democrático!
Será que a Catarina usaria os mesmos argumentos para apoiar os algarvios se decidissem referendar a independência do Algarve?

Tu cometes muitos erros primários de lógica!
A Catalunha já foi independente e nos anos 30 combateu os franquistas, que eram financiados por Mussolini e Hitler! Aprende História antes de dizeres disparates! Sabias que Franco proibiu o uso do catalão?
Quando os algarvios quiserem a independência da sua província, vem cá falar. Até lá só fazes comparações ignorantes! Será que usarias os mesmos argumentos para apoiar o rei Filipe IV quando ele se opôs à independência portuguesa no século XVII?

Adicionar novo comentário