Está aqui

Bloco quer mudanças na proposta do governo para as reformas antecipadas

José Soeiro diz que a proposta do governo para as longas carreiras contributivas “não é satisfatória” e defende o fim dos cortes para quem começou a descontar antes dos 16 anos.
Foto Paulete Matos

O acesso à reforma para quem descontou mais de 40 anos e começou a trabalhar muito cedo tem sido uma das bandeiras do Bloco de Esquerda. Mas a proposta do governo, em discussão pública até dia 15, não garante nem a reforma aos 40 anos de descontos e continua a penalizar quem atingiu essa fasquia e começou a descontar antes dos 16 anos de idade.

Em declarações ao Público, o deputado bloquista José Soeiro afirmou que o Bloco vai insistir nas negociações para alterar pelo menos quatro pontos da proposta do governo. As duas primeiras são o fim dos cortes para quem começou a descontar antes dos 16 anos e a eliminação do fator de sustentabilidade para o acesso à reforma antecipada, incluindo desempregados de longa duração e pensionistas da Caixa Geral de Aposentações.

O Bloco pretende ainda tornar não cumulativas as condições previstas na proposta do governo para o acesso à reforma antecipada: 40 anos de descontos aos 60 anos de idade. Soeiro defende que "a contabilização dos 40 anos de carreira contributiva não pode ser feita só quando a pessoa tem 60 anos de idade, excluindo quem começou a fazer descontos mais tarde". Em quarto lugar, o Bloco quer ver aumentada a bonificação para quem tem mais de 40 anos de descontos, reduzindo em um ano a idade de reforma por cada ano de descontos acima dos 40. Na proposta do governo, essa redução é entre quatro e sete meses.

“Mesmo não sendo a nossa posição inicial, estas são as alterações mínimas. E vamos insistir neste conjunto de alterações até haver um ponto de encontro satisfatório”, concluiu José Soeiro.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política

Comentários

Como se tem vindo a falar nas reformas antecipadas.Não entendo. Porque não são beneficiados todos aqueles que fizeram os descontos durante 40 anos. Acho que já chega de descontos para o estado. Dependente da idade...

Questiono-me se é justo ter começado a descontar em 1972 e presentemente ter 63 anos de idade e ter já descontado 45 anos de contribuição para a segurança social, e me ver RELEGADO para uma segunda fase do enquadramento proposto pelo governo sem se saber QUANDO?? para se ter acesso á reforma antecipada.
Começar a trabalhar antes de 16 anos E FICAR AQUÉM, NA CARREIRA CONTRIBUITIVA em relação a quem ultrapassou o proposto, apesar de mais tarde ter iniciado sua vida profissional não é justo.
Em suma é mais importante ter trabalhado antes dos 16 anos e ter uma carreira contributiva menor perante quem começou a trabalhar mais tarde e contribuiu muito mais para a Segurança Social. O que é mais importante?? começar a trabalhar mais cedo e ter uma carreira contribuitiva menor ou quem começou mais tarde e ter uma contribuição maior para a Segurança Social????
Existe uma disparidade que não é justa.

É profundamente injusto. É uma mão cheia de nada.
Bastava uma adenda ao que está agora, com a excepção das penalizações para quem tenha 48 ou mais anos de descontos, porque foi aquilo que deram.
Criaram ilusões, expectativas de que o factor de sustentabilidade ia acabar... enganaram as pessoas e continuam a enganar com umas 2ª e 3ª fases sem calendário de entrada em vigor...

Andaram tanto tempo a prometer que a reforma, seria aos 40 anos de descontos sem penalizações para ter reforma completa, para nada. Ou seja: na prática, as pessoas têm que trabalhar mesmo é até aos 48, ou 46 anos no mínimo. A lei de ter 40 anos de contribuições, para ter reforma completa, deveria ter sido a PRIMEIRA PRIORIDADE DO GOVERNO. Se se prontificaram a formar governo, criando a "GERINGONÇA", esta deveria ter sido a principal condição, pela qual acordaram. Levaram tanto tempo a falar que a reforma seria aos 40 anos sem penalizações para NADA!!!!!!! 40 anos de descontos é o JUSTO, MAIS QUE JUSTO. AS PESSOAS JÁ NÃO PODEM MAIS, EM ESPECIAL AS QUE TÊM ORDENADOS MAIS BAIXOS, QUE SÃO AS QUE MAIS TRABALHAM FISICAMENTE. CONSIDEREM ISSO POR FAVOR; CONSIDEREM ISSO POR FAVOR; CONSIDEREM ISSO POR FAVOR!!! AO MENOS NÃO PENALIZEM TANTO OS ORDENADOS MAIS BAIXOS. Considerem que os trabalhos NÃO SÃO TODOS IGUAIS. Se quem faz estas leis fosse obrigado por exemplo a estar empoleirado numa grua depois dos 66 anos, no mar alto às 3h da manhã, carregar PESOS PESADOS, cheio de varizes, artroses e hérnias na coluna, levantar-se às 6h da manhã e chegar a casa depois das 23h, trabalhando por turnos e com horários, que mudam constantemente, e, depois de já ter trabalhado mais de 40 anos, de certeza absoluta que as coisas mudariam... Sim claro, ser bailarina e afins é muito mais desgastante...Irra!!!! Pelos vistos este governo dito de esquerda ainda consegue ser pior do que no tempo do Dr Bagão Félix, que era do PSD, pelo menos nesse tempo a reforma era aos 40 anos sem penalizações. Conheço muitas pessoas que sempre votaram, votar é um dever cívico, mas já decidiram nunca mais votar, precisamente por causa desta lei não ser aprovada. Não vale apena são todos iguais. As empresas, são as grandes beneficiadas, porque continuam a explorar os velhos trabalhadores, pois sabem que, quando tiverem de contratar, no lugar de um velho, têm que pôr pelo menos três no seu lugar e com salários muito mais elevados, porque muitos velhos trabalhadores estão escandalosamente a receber o ordenado mínimo, depois de 40 anos de trabalho!!!! Não pode ser? Então investiguem e confirmem a realidade. E depois com esses ordenados miseráveis, sexagenários, e, com mais de 40 anos de descontos, ainda têm uma penalização de 6% ao ano, além do factor de sustentabilidade, que, pelos vistos também só vai ser retirado por fases. Então e os jovens trabalham quando? Nunca. Pois que contratem jovens trabalhadores que trabalhem e descontem como deve ser e assegurem a sustentabilidade da segurança social. Senão os mais credenciados vão ajudar a edificar outros países que os tratem com dignidade humana, e daqui a uns tempos, este País que já foi um grande império, não será mais que um bocado de terreno, onde só existirão moribundos, aleijados e analfabetos. Portanto solução para este caso: GREVE GERAL E TOTAL PARA TODOS OS TRABALHADORES SEXAGENÁRIOS QUE JÁ TRABALHAM HÁ MAIS DE 40 ANOS. QUE PÁRE TUDO EM TODOS OS SECTORES A NÍVEL NACIONAL: COMÉRCIO, INDÚSTRIA AGRICULTURA TRANSPORTES, SERVIÇOS. ETC ETC... TUDO, TUDO MESMO. QUE PARE TUDO, E OLHEM QUE EU NÃO SOU, NEM NUNCA FUI APOLOGISTA DE GREVES POR "DÁ CÁ AQUELA PALHA" MAS DESTA VEZ NÃO TEM JEITO. QUEREM QUE A SEGURANÇA SOCIAL SEJA SUSTENTÁVEL? ÓPTIMO! EXCELENTE. ATÉ AÍ ESTAMOS DE ACORDO, MAS ENTÃO FAÇAM-NO COM JUSTIÇA. POR QUE É QUE UNS HÃO-DE IR GANHAR POR MÊS, O QUE OUTROS SÓ RECEBERÃO POR ANO?! AO MENOS NÃO OBRIGUEM PESSOAS DOENTES A IREM TRABALHAR, SEM PODER. EIS OUTRA TREMENDA INJUSTIÇA, COM QUE NOS CONFRONTAMOS: AS "FAMOSAS JUNTAS MÉDICAS" OBRIGAM PESSOAS COM MAIS DE 60 ANOS, E COM DOENÇAS MESMO INCAPACITANTES A IR TRABALHAR SEM PODER! É ESCANDALOSO. OS SEXAGENÁRIOS NÃO PODEM MAIS SOBRETUDO SE TÊM TRABALHOS PESADOS. VEJAM AS COISAS COM JUSTIÇA E NÃO SEM CRITÉRIOS.

Para fazer isto não valia a pena o alarido

Bastava fazer uma adenda a dizer que ficavam sem penalizações os que têm 48 ou mais anos de carreira

Revolta-me este circo, o anunciar "vamos acabar com a injustiça do factor de sustentabilidade" e depois ver esta proposta em que tudo fica na mesma, incluindo o factor de sustentabilidade.

As fases 2 e 3 não têm sequer data provável.
Toda a proposta é revoltante. Andam a fingir que dão alguma coisa e, pelo caminho, a enganar meio mundo. Se não tencionavam dar nada, porque não disseram logo e andaram este tempo todo a alienar as pessoas com ilusões de que iam acabar com o factor de sustentabilidade e com as penalizações às carreiras longas?

Revolta-me ver os parceiros do governo a não denunciarem que afinal o factor de sustentabilidade não vai desaparecer, nem sequer para que quem tiver entre 40 e 46 anos de desconto e que quem tenha 47 ou 46,... anos de deconto mas não tenha começado a trabalhar antes dos 16 leva com o factor de sustentabilidade e ainda com 0.5% (ou 0.4% por cada mês de antecipação).

Pensões antecipadas: o que há de novo na proposta do Governo? http://www.jornaldenegocios.pt/economia/seguranca-social/detalhe/pensoes... via @JNegocios

Aqui vai a pergunta do milhão de dólares:

A entrada em vigor da primeira fase do novo regime de reformas antecipadas, que se anuncia para breve, interferirá ou não com os milhares de portugueses não contemplados nesta fase, que ao abrigo do atual regime decidam reformar-se ainda este ano, sem cortes, logo que completem 65 anos e 44 de descontos ou, 65 anos e três meses e 43 anos de descontos?

Enquanto houver factor de sustentabilidade as pessoas não antecipam a reforma, excepto se estiverem desesperadas por se sentirem humilhadas, porque "já não presta, porque é velho" e sem perspectivas de evolução na carreira ou melhoria salarial

SE QUEM COMEÇOU A DESCONTAR AOS 14 SE PODE REFORMAR AOS 60, QUEM COMEÇOU AOS 15 DEVIA PODER REFORMAR-SE AOS 61E ASSIM SUCESSIVAMENTE. PARA FAZEREM O QUE ESTÃO A DIVULGAR VALIA MAIS VOLTAREM A PÔR A VIGORAR A LEI QUE CONTAVA OS ANOS DE DESCONTO AOS 50 ANOS E QUE REDUZIA UM ANO NA IDADE DA REFORMA POR CADA TRÊS ACIMA DOS 35 DE DESCONTOS. COM ESSA LEI PODIA REFORMAR-ME AOS 62...AGORA SÓ POSSO AOS 64! SE ACHAM QUE 46 ANOS DE DESCONTO NÃO SÃO SUFICIENTES, VALE MAIS DIZEREM JÁ QUE NÃO QUEREM PAGAR REFORMAS. CONTINUAM A ACEITAR OS DESCONTOS... MAS PAGAR AS REFORMAS SÓ O MAIS TARDE POSSÍVEL. SE QUEM TEM HOJE 66 ANOS E 3 MESES E COMECOU A DESCONTAR AOS 26 ANOS, DESCONTOU 40 ANOS, TEM A REFORMA COMPLETA, PORQUE TENHO EU, QUE DESCONTO DESDE OS 15 ANOS, DE CONTINUAR A DESCONTAR? TANTA REUNIÃO PARA QUÊ? MUITA PARRA...POUCA UVA! APELO AO BE PARA QUE DEFENDA QUE, SE O CRITERIO DOS 46 ANOS DE DESCONTO FOR APLICADO, DEVE SER APLICADO PARA TODOS, PARA QUALQUER IDADE.

Tanto alarido para quê? fica tudo na mesma!!Palhaçada a mais para nada.Quem anda sempre a mexer nas leis de certeza que nunca irá sofrer com todas as alterações que se fazem ou fizeram ao longo dos tempos!! Estas ditas "benesses" não são nada mais que atirar areia aos olhos de todo o "Zé Povinho".
Tenho 60 anos e 42 de descontos já feitos.Estou desempregado e quando terminar o desemprego tenho 63 anos e 45 de descontos, mas continuo a ser penalizado com o tal fator!! Pergunto...estou no desemprego só porque me apetece!! Haja Paciência!! Já há muito que não acredito em "GOVERNANTES"

Adicionar novo comentário