Está aqui

Bloco organiza Fórum da Floresta este sábado

A iniciativa tem lugar no Instituto Politécnico de Leiria e junta investigadores e ambientalistas para debater políticas públicas para a floresta.

Na preparação do debate sobre política florestal que terá lugar no próximo dia 19 na Assembleia da República, o Bloco de Esquerda organiza um Fórum com várias mesas de debate sobre temas ligados à floresta (ver programa). Vários especialistas em política florestal irão debater com ambientalistas, quais as respostas públicas que devem ser dadas para o ordenamento da floresta portuguesa.

O Fórum tem lugar no Instituto Polítécnico de Leiria, no pólo da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (Campus 2, Morro do Lena, Alto do Vieiro).

O programa do fórum tem início às 10h de sábado, dia 8 de julho, com duas mesas de debate em simultâneo. A Mesa 1 – “A Floresta no combate às alterações climáticas” vai discutir a mitigação e adaptação às alterações climáticas, riscos da monocultura e paisagem sustentável, biodiversidade e o equilíbrio da natureza. Os convidados são José Luís Zêzere (Centro de Estudos Geográficos - Universidade de Lisboa), João Camargo (investigador em alterações climáticas, Instituto de Ciências Sociais) e Francisco Rego (Centro de Ecologia Aplicada - Instituto Superior de Agronomia) e o debate será moderado por Ricardo Vicente, do Bloco/Leiria.

Também às 10h tem início a Mesa 2 – “Como produzir valor e ser sustentável”, que irá debater a floresta enquanto produtora de matéria-prima, interfaces com pastorícia e agricultura, atividades conexas (turismo; desporto, lazer e educação). Com moderação do deputado Pedro Soares, este painel vai juntar Paulo Pimenta de Castro (presidente da Acréscimo - Associação de Promoção ao Investimento Florestal), Rosário Alves (diretora da Forestis - Associação Florestal de Portugal) e João Bento (professor, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro - Departamento de Ciências Florestais e Arquitetura Paisagista).

A segunda parte deste Fórum decorre com outras duas mesas simultâneas a partir das 14h30. A Mesa 3, moderada pelo deputado Carlos Matias, intitulada “Ordenamento e gestão florestal unificada” irá discutir a imperatividade dos planos florestais, a relevância da escala no ordenamento e os meios de combate a incêndios. Os participantes deste debate são Marco Marques (engenheiro florestal), Armando Carvalho (presidente da Baladi, Federação Nacional dos Baldios), Maria do Carmo Bica (engenheira agrónoma, dirigente do Bloco de Esquerda),
Manuela Raposo Magalhães (arquiteta paisagista, Instituto Superior de Agronomia).

A Mesa 4, também com início às 14h30, chama-se “Estrutura fundiária e gestão florestal eficaz - papel do Estado” e vai debater o cadastro florestal, prazos e propostas, o papel do Estado enquanto proprietário, regulador e promotor da inovação e sustentabilidade da floresta, e a ação coletiva para a gestão integrada da floresta. São convidados deste painel Pedro Bingre (engenheiro florestal, investigador do Centro de Estudos de Recursos Naturais, Ambiente e Sociedade), Nelson Peralta (biólogo, dirigente do Bloco de Esquerda), Domingos Patacho (engenheiro florestal, dirigente da Quercus), com moderação de Victor Pinto.

O encerramento do encontro será feito pelos deputados Heitor de Sousa e Carlos Matias e pela coordenadora do Bloco, Catarina Martins.

 

Termos relacionados Fórum da Floresta 2017, Ambiente

Comentários

O que deve ser feito:

· A floresta não se limpa, gere-se;

· Para gerir a floresta é preciso cadastrar todas as parcelas;

· Só uma pequenina parte do território rural continental está cadastrado;

· Que se identifiquem todos os proprietários das parcelas rurais, e o que nelas se cultiva;

· Que se legisle rápido para que as parcelas abandonadas e as que não têm massa crítica passem para a posse de associações de agricultores, associações florestais, etc., onde os proprietários serão sócios com quotas proporcionais ao valor das suas parcelas;

· As associações gerirão as parcelas de acordo com a lei e com o estado da arte.

NÃO SE QUEIRA INVENTAR A RODA E QUE O ORDENAMENTO FLORESTAL NÃO SEJA FEITO COM PROJECTO DE ESPECIALISTAS DE BANCADA!

Adicionar novo comentário