Está aqui

Audição sobre legalização da canábis vai debater uso medicinal

O Bloco convidou profissionais de saúde e ativistas a pronunciarem-se na próxima segunda-feira sobre as propostas de legalização para o uso terapêutico e recreativo da planta. A audição contará com a intervenção da deputada socialista Maria Antónia Almeida Santos.
Foto Weedporndaily/Flickr

A audição pública promovida pelo Bloco de Esquerda realiza-se na próxima segunda-feira, dia 11 de dezembro, a partir das 17h no Centro de Acolhimento ao Cidadão da Assembleia da República.

O objetivo da audição é ouvir profissionais de saúde, ativistas associativos e cidadãos em geral sobre os modelos de legalização da canábis. O encontro será o ponto de partida para a discussão pública das propostas que o Bloco pretende apresentar nesta legislatura em duas vertentes separadas: a da legalização do uso terapêutico com prescrição médica e a da legalização do uso recreativo.

Entre as presenças confirmadas nesta audição estão a da deputada socialista Maria Antónia Almeida Santos, que presidiu à Comissão para a Dissuasão da Toxicodependência de Lisboa entre 2001 e 2005, e do médico psiquiatra Luís Patrício, que dirigiu o Centro de Atendimento a Toxicodependentes das Taipas até 2008 e atualmente promove o projeto “A Mala da Prevenção” destinado à divulgação de técnicas de prevenção das dependências e da redução de riscos para utilizadores.

Ouça aqui o podcast Quatro e Vinte com a atualidade quinzenal do mundo canábico.

Outro médico a dar o seu contributo nesta audição é o espanhol Javier Pedraza, especialista em medicina geral e familiar e um impulsionador do uso da canábis medicinal no país vizinho. Pedraza dirige os gabinetes terapêuticos da Federación de Asociaciones Cannábicas Autoreguladas de Cataluña e da Federación Extremeña de Asociaciones Cannábicas. O neurologista e intensivista Bruno Maia, da Unidade Cerebrovascular e Gabinete Coordenador de Colheita e Transplantação do Hospital de S. José, também irá participar nesta audição pública sobre a legalização da canábis.

A audição pública contará com a presença de Dinis Dias, vice-presidente da associação Cannativa - Associação de Estudos Sobre Canábis, e de Andreia Nisa, que coordena a equipa de redução de riscos em ambientes festivos CHECK!N Viseu e o projeto INCLUS@ de prevenção e reinserção no estabelecimento Prisional da Guarda, para além de colaborar com a APDES - Agência Piaget para o Desenvolvimento desde 2011.

Ainda no capítulo da redução de riscos, está confirmada a presença de João Santamaria, do GAT Portugal - Grupo de Ativistas em Tratamentos, técnico comunitário no In-Mouraria, um centro de respostas integradas com vista à redução de riscos. .

Termos relacionados Política

Adicionar novo comentário