Está aqui

Alemanha: Agressões sexuais por refugiados no Ano Novo foram uma “invenção”

Depois de apurar o caso das alegadas agressões sexuais por refugiados na noite de 31 de dezembro em Frankfurt, polícia conclui que queixa não teve “o mínimo de fundamento” e investiga os seus autores.
Jornal antigo
Jornal antigo, foto de Christopher Pluta/Pixabay.

A 6 de fevereiro o jornal Bild narrava como na noite de reveillon em Frankfurt um grupo de 50 homens, supostamente árabes, saíram de um abrigo para refugiados onde vivam e se dirigiram a um restaurante no centro da cidade, onde teriam assaltado e agredido sexualmente várias mulheres. A história, confirma agora a polícia alemã, é uma “invenção” sem “o mínimo de fundamento”.

Nunca foi apresentada nenhuma queixa à polícia, mas o jornal que publicou em primeira mão o relato baseou-se no testemunho de duas pessoas, o chef do restaurante e uma mulher de 27 anos, que afinal nem estava na cidade nessa noite.

A reportagem foi republicada em diversos outros meios de comunicação e blogues, entre os quais o Breitbart News, o site de extrema direita que até recentemente era gerido por Steve Bannon e que entretanto foi nomeado conselheiro de Donald Trump. O editor do jornal Bild já pediu desculpas nas redes sociais. 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional

Adicionar novo comentário