Está aqui

Agora a decisão será do povo

O Bloco vai para mais esta importante batalha política certo de que enquanto PS e PSD se revezarem no poder ou se se unirem em “grande coligação” a saga sem fim do austeritarismo será lei.

A Assembleia da República rejeitou o PEC IV. O Bloco de Esquerda contribuiu, como era seu dever, para esta rejeição. Fizemo-lo porque, como dissemos, sendo a consolidação orçamental um imperativo, ela não pode constituir um pretexto para um ataque sem precedentes contra o trabalho, os serviços públicos e, portanto, a democracia. E era disso que se tratava: o embaratecimento humilhante dos despedimentos tem efeito zero nas contas públicas e, no entanto, foi escolhido pelo governo como elemento emblemático deste PEC. Mostrar uma disponibilidade de 3.000 milhões de euros para a recapitalização que os bancos não querem assumir, ao mesmo tempo que congela pensões ou corta no Serviço Nacional de Saúde, foi a marca de água que o governo imprimiu ao PEC que rejeitámos.

José Sócrates demitiu-se acusando as oposições de irresponsabilidade. Tínhamos dito nas nossas Jornadas Parlamentares, realizadas no início desta semana em Torres Novas, que não é por se abrir uma crise política que o FMI entra em Portugal, é precisamente devido às políticas do FMI a prestações que nos governam que se abre uma crise política. PEC após PEC, tem sido a receita FMI para a economia e a sociedade portuguesas que tem sido adoptada.

Agora a decisão será do povo. O Bloco vai para mais esta importante batalha política certo de que enquanto PS e PSD se revezarem no poder ou se se unirem em “grande coligação” a saga sem fim do austeritarismo será lei. E Pedro Passos Coelho tardou poucas horas a dar-nos razão, prometendo aumento imediato de um imposto cego como o IVA se formar governo. A lógica de fatalidade do bloco central é um inimigo poderosíssimo. Mas podemos vencê-lo. À luta dos professores contra o modelo de avaliação de Maria de Lurdes Rodrigues também se vaticinou incapacidade de ir avante. E venceu, esta sexta feira, sob impulso parlamentar do Bloco de Esquerda.

Termos relacionados Política, semana parlamentar

Adicionar novo comentário