Está aqui

“Nenhum dinheiro para a tauromaquia”

Marcha em defesa dos direitos dos animais pede uma nova lei e o fim da crueldade e do sofrimento
Os manifestantes gritaram palavras de ordem como: “Eu não pago nem pagaria nenhum dinheiro para a tauromaquia”. Foto de Ricardo Moreira

Cerca de 3 mil pessoas manifestaram-se este sábado entre o Campo Pequeno e o Palácio de S. Bento, em Lisboa, em defesa dos direitos dos animais. A marcha, organizada pela Associação Animal, juntou todas as associações e coletivos que se mobilizam por causas como o vegetarianismo, a defesa dos cães e gatos dos canis, a luta contra as touradas, e muitas outras.

Os manifestantes gritaram palavras de ordem como: “Eu não pago nem pagaria nenhum dinheiro para a tauromaquia” e empunhavam faixas a pedir "Mais esterilização, menos eutanásia", "Parem de fazer testes com animais”.

Em frente da sede do PS, no largo do Rato, os manifestantes gritaram: “Façam mais pelos animais!” e quando passaram diante da sede do Bloco de Esquerda foram aplaudidos pelas pessoas que lá se encontravam.

O Bloco de Esquerda esteve presente, com uma faixa que dizia: “O sofrimento animal para o Estado é legal”.

A marcha pela defesa dos direitos dos animais é realizada habitualmente nesta época.

"Fazemos esta marcha anual desde 1999, embora tenha sido interrompida nos últimos dois anos, para chamar a atenção para a importância do bem-estar animal. A partir de hoje queremos iniciar uma nova era em Portugal", disse a presidente da associação Animal.

Rita Silva defendeu que as leis de proteção dos animais em Portugal constituem uma manta de retalhos por serem tão dispersas: "Precisamos de uma lei justa e eficaz, que ajude os animais. Lidamos todos os dias com casos de crueldade e abandono de animais. Este clima de impunidade tem de acabar de uma vez por todas", defendeu.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Notícias sociedade

Adicionar novo comentário