Está aqui

“Que 2014 seja o ano de desobedecer à Europa da troika”

Na mensagem de Ano Novo divulgada este sábado, Catarina Martins dirige-se ao “país solidário que não se resigna a um futuro de pobreza e desigualdade”.
Catarina Martins quer que 2014 seja um ano de viragem para um caminho diferente do de Passos Coelho e Paulo Portas.

No vídeo com a mensagem de ano novo da coordenadora do Bloco de Esquerda, o desejo é que 2014 seja “o ano da viragem” do país, para um caminho diferente do que o que vem sendo traçado por um Governo “que apenas quer palmadinhas nas costas de Angela Merkel e é incapaz de defender os interesses dos portugueses”.

Catarina Martins começa por referir as dificuldades de 2013 e dos últimos anos, com o desemprego, a pobreza infantil, a emigração dos jovens e a incerteza dos mais velhos quanto às suas reformas. “Mas não tem sido assim para todos”, prossegue a coordenadora do Bloco, lembrando que “ao mesmo tempo que aumentam os impostos sobre quem trabalha, PSD, PS e CDS uniram-se para descer os impostos das grandes empresas” na reforma do IRC e que “ao mesmo tempo que quem vive do seu trabalho empobrece, aumenta o número de milionários e o tamanho das suas fortunas”.

“Sabemos que não tem de ser assim. Até porque sabemos que este é um país solidário, de gente que não se resigna a um futuro de pobreza e desigualdade”, contrapõe Catarina Martins, defendendo “um outro caminho em que o futuro se faz na defesa de quem trabalha, de quem trabalhou e quer trabalhar e nunca com quem apenas quer lucrar com os despojos da crise”.

“É com esse país solidário que estamos. Sabem que podem contar com o Bloco de Esquerda em cada passo da construção desse caminho mais justo e mais digno. Juntamos a nossa voz à sua. Que 2014 seja um ano de viragem. O ano de desobedecer à Europa da troika para resgatar Portugal”, conclui a coordenadora do Bloco.

BLOCO DE ESQUERDA | Mensagem para 2014 | Catarina Martins

Termos relacionados Política

Adicionar novo comentário